segunda-feira, 19 de abril de 2010

Que tempos são estes, Senhor? por Sara Fernandes

Tem dias que a gente acorda com o sol na janela e uma sensação: de que a partir de agora tudo será diferente, que aqueles velhos hábitos não voltarão, que o céu dificilmente se turbará em chuva e se ela cair a gente andará alegremente, porque não há mal que possa contagiar essa nova vida que nasce com o sol. Esses dias passam e a gente briga com a chuva que atrapalha o trânsito da cidade.

Tem tempos que a gente sente que algo está mudando, não só pra você, mas pra muita gente; que algo novo vem acontecendo, que o mundo ainda pode ser melhor. A gente se reúne e conversa sobre os mesmos assuntos, e as pessoas compartilham de sonhos incrivelmente semelhantes, e de maneiras de fazer diferença que ainda não foram tentadas.

Muitas dessas vezes, tudo não passa de uma sensação, e a primeira brisa leva a harmonia do que se sonhou, e a gente já nem lembra mais do que planejamos com tanta convicção.

Mas têm momentos em que realmente o mover do Espírito Santo de Deus ocorre no nosso meio, a começar, talvez, do sol na isolada janela de alguém ou do calor no coração de muitos. E nesses momentos em que algo impossível de se nomear ocorre em meio a um povo, a chuva cai, o vento passa e a história - com ou sem letra maiúscula - realmente muda.

Talvez seja só um dia de clareza, mas tenho a sensação de que um novo tempo se abre sobre a Mocidade da Oitava Igreja e sei que o sol se abriu e tem aclarado muitas outras janelas. Com muitos tenho compartilhado dessa brisa de mudança que tem ardido em meu coração. Talvez seja apenas um vento, mas se Deus se agradar de nós, podemos estar diante desses moveres do Espírito que marcam uma geração e mudam a História (mesmo que só de uma pessoa).

E nesses dias em que é difícil explicar o que não se vê é que eu me lembro de que “nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” (I Coríntios 2.9)

Abra sua janela!

0 comentários:

Postar um comentário